07
dez

Vacina contra dengue é indicada só para quem já foi infectado

Novos estudos revelam que a vacina pode não ser segura para quem ainda não teve algum tipo de dengue

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) passou a recomendar que a vacina da dengue não seja tomada por quem nunca teve a doença. A partir de agora, a imunização é considerada segura apenas para aqueles que já foram infectados pelo vírus. O médico infectologista da Unimed Curitiba, Jaime Rocha, explica que a vacina era indicada para pessoas entre 9 e 45 anos, e sabia-se que a imunização era maior entre as pessoas que já tinham tido um tipo da doença. “Com os novos estudos, a vacina deixa de ser recomendada para quem nunca foi contaminado. Os testes revelaram que alguns indivíduos apresentaram formas mais graves da doença após a aplicação.”

A "Dengvaxia", fabricada pelo laboratório francês Sanofi Pasteur, ainda é uma vacina nova, aprovada no Brasil em 2015. De acordo com informações de testes preliminares, que precisam de uma análise mais completa, há um risco de aparecimento de casos graves em pessoas que nunca tiveram contato com o vírus, caso sejam infectadas após a imunização. Em comunicado, a Anvisa esclarece que a vacina em si não desencadeia a dengue nem a forma grave da doença. O risco de aparecimento de casos graves estaria restrito, de acordo com o trabalho, às pessoas que nunca tiveram contato com o vírus.

A bula será atualizada e a Anvisa irá analisar os resultados completos para se posicionar novamente. Todas as diretrizes para vacina de dengue, recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), dizem que é necessário um acompanhamento dos pacientes dos testes iniciais por mais quatro anos.

Pesquisas com a vacina realizadas na América Latina e na Ásia mostram uma eficácia de 81,9% entre os participantes que já tinham tido dengue, enquanto a eficácia entre os que nunca tinham sido infectados foi de 52,5%. “A OMS só recomenda a introdução da vacina em lugares em que 70% ou mais da população já teve dengue, e não indica a vacina onde esse número seja menor do que 50%. Na rede particular é possível encontrar a vacina, mas a orientação é que ela seja aplicada apenas em quem já foi infectado. Para pessoas que já tiveram contato com o vírus, o benefício da vacina permanece favorável”, explica o infectologista.

Sobre a Unimed Laboratório

A Unimed Laboratório é uma rede laboratorial, com unidades de coleta distribuídas nos principais pontos de Curitiba e Região. Uma estrutura completa para cuidar da saúde e do bem-estar com a qualidade de serviços e de atendimento Unimed. A megaunidade da Unimed Laboratório (Av. Iguaçu, 1815, Água Verde) proporciona a visualização do local no qual as análises são realizadas, ambiente próprio para crianças, equipamento especial para encontrar veias difíceis na coleta de sangue, pesquisa de qualidade on-line e café especial para o desjejum. Mais informações no site https://www.unimedlab.com.br

Assessoria de Imprensa - Curitiba

Talk Assessoria de Comunicação
Aline Cambuy
DRT/PR 5746
41 3018-5828 /9968-0106
aline@talkcomunicacao.com.br

 



« Voltar

14
dez

Nova modalidade de leilão permite vender e comprar carros sem intermediação

Modelo de leilão extrajudicial é inédito no Brasil e será lançado em Curitiba

+MAIS

14
dez

Leilão de obras de arte traz quadros do catarinense Luiz de Souza e da paranaense Eliane Prolik

Leilão ocorre nesta sexta-feira e ainda oferece quadros do espanhol Alejandro Díaz Grova; no total, as obras somam mais de R$ 60 milhões

+MAIS

12
dez

Instituto de Direito Tributário comemora 50 anos

+MAIS

12
dez

Lovato Móveis apresenta coleção em Curitiba

+MAIS